segunda-feira, 6 de maio de 2013

Moda Conceitual por Theo Alexandre.

O designer Theo Alexandre, como todo canceriano, gosta de sentir a emoção à flor da pele. Para ele a moda tem que emocionar, contar uma história. “A moda tem que arrancar suspiros de surpresa, passar conteúdo. A moda tem que seduzir.”, conta o estilista. Nascido em Goiânia na década de 80 teve como escola criativa, desde a adolescência, o artesanato (arranjos de cabelo) que até hoje o influência no desenvolvimento de acessórios e bordados. Seu trabalho, principalmente o autoral, tem grandes referências do trabalho artesanal, “Gosto das experimentações, materiais inusitados. O design de superfície muito se caracteriza no meu universo". Após oito anos de trabalho com artesanato e um intercâmbio de seis meses na Inglaterra, Theo volta ao Brasil e descobre sua paixão: a moda. Daí em diante seu caminho até se tornar estilista passa por todas as etapas dentro do processo de produção, até chegar à graduação e enfim a criação. “Utilizei muito do recurso da customização para o desenvolvimento de peças únicas, tanto para uso pessoal, quanto para amigos e familiares”. Seu trabalho como designer de moda se fortaleceu em confecções de atacado, no segmento feminino adulto, conhecido como “modinha” e paralelamente participação em grandes eventos de moda e concursos de novos talentos que buscam fortalecer e criar uma identidade com seu trabalho autoral. O universo masculino e suas atuais possibilidades, enquanto design, fazem parte de suas principais pesquisas. "O bizarro me estimula, e o belo me excita enquanto criador". Com dez anos de trabalho em confecções, aprendeu a lidar com o fastfashion e a velocidade da “engrenagem moda” e seus caminhos. Segundo Theo, a moda representa o fator renovação/experimentação, os limites entre o estranho e o bom gosto, o treinar incansável do olhar. Colocar um diálogo entre forma e matéria-prima. Entender e saber ouvir os materiais, numa conversa íntima e pessoal que transforma em respostas diferentes para cada criador. “A moda é a mais forte expressão entre habilidade e sensibilidade, é o observar do mundo, do tempo, suas formas, seus acontecimentos, suas transformações, questionamento interior, pertinente, a cada individuo. É produzir, de todas estas junções, experiências com cores, texturas, imagens táteis que instigue o olhar e me deixe com a sensação de dever cumprido a cada produto e a cada nova coleção. Acredito que só existe verdade na moda quando ela me provoca um brilho no olhar e me faz acreditar todos os dias que escolhi, e fui escolhido, pela profissão certa” finaliza o estilista. ​Por Moacyr Marques

0 comentários :

Postar um comentário